ANÁLISE

México: Campanhas Eleitorais

A partir de 1º de abril do presente ano, iniciou-se o processo de campanhas eleitorais em que os candidatos e candidatas devem observar as normas eleitorais que garantem a condução de um processo limpo.

Como em qualquer processo eleitoral, as propostas, discursos e mensagens políticas são o que distinguem os diferentes partidos políticos que vão disputar no próximo dia 6 de junho, nas urnas, mais de 20 mil cargos públicos, incluindo 15 cargos de governador.

É neste sentido que, a partir de diferentes ferramentas, os partidos políticos, candidatos e candidatas – durante 60 dias ─ posicionam sua narrativa de identidade, promovem sua imagem e divulgam suas propostas de políticas públicas para que seu eleitorado tenha uma compreensão mais profunda das questões que marcarão suas agendas.

Em um contexto muito complicado, marcado por uma pandemia que continua em expansão, em nível nacional, 10 forças políticas, sozinhas ou em coalizão, ─Partido Acción Nacional (PAN), Partido Revolucionario Institucional (PRI), Partido de la Revolución Democrática (PRD ), Partido del Trabajo (PT), Partido Verde Ecologista de México (PVEM), Movimiento Ciudadano e Movimiento de Regeneración Nacional (Morena), Partido Encuentro Solidario, Redes Sociales Progresistas e Fuerza Social por México ─ 7 delas com maior antiguidade e raízes vão disputar a representação dos cidadãos mexicanos.

Espera-se que com todas as medidas sanitárias, as campanhas deem ênfase a ideias e propostas concretas para os grandes desafios especialmente em questões de saúde, pobreza, desigualdade e desemprego, mas também em matéria de políticas públicas aplicadas.

A partir deste contexto, Ágora México apresenta um documento com a identificação das propostas eleitorais para a Região Norte (Baja California, Baja California Sur, Chihuahua, Sonora, Sinaloa, Nayarit, Nuevo León e San Luis Potosí).

Baixe o relatório completo aqui.