ANÁLISE

COMO FOI PERCEBIDO O IMPACTO ECONÔMICO DA COVID-19 NA COLÔMBIA?
Colombia COVID

A unidade digital da Ágora Colômbia fez um estudo sobre a percepção do impacto econômico da COVID-19 no país. Entre os achados da pesquisa, evidencia-se, em primeiro lugar, que o sentimento negativo é predominante. Ressaltam, entre as palavras mais utilizadas, desemprego, pobreza e violência, associadas à preocupação da população de perder o emprego ou de não conseguir recursos econômicos suficientes para subsistir durante o isolamento social obrigatório. Com respeito aos sentimentos positivos, ressaltam as palavras melhor, meio ambiente e reflexão, que poderiam se relacionar com o pensamento otimista de que a desaceleração da atividade econômica e a pouca interação humana estão ajudando a melhorar as condições ambientais e dando um “alívio” ao planeta Terra.

No debate digital ressaltam algumas medidas do Governo Nacional para proteger a economia e as populações vulneráveis, entre elas: a capitalização de créditos de diferentes setores para proteger o emprego das pequenas e médias empresas, a redução das taxas de juros do Banco da República para aumentar a liquidez no setor financeiro, a devolução do IVA a um milhão de famílias de baixos recursos (SISBEN ou Programa Famílias em Ação), a suspensão temporal do pagamento de impostos para as empresas, pessoas físicas e o adiamento no pagamento de serviços básicos e créditos bancários. Considera-se que o Governo Nacional conseguiu emitir diferentes atos administrativos para proteger a economia do país, porém, foi afirmado que diversos segmentos populacionais ficaram sem emprego ou não têm os recursos necessários para adquirir suas necessidades básicas.

Assim, uma preocupação é que esse tipo de medidas não sejam suficientes para evitar o impacto na economia, levando em consideração que setores como o turismo, a indústria cultural, o comércio, o esporte, entre outros, estão afetados já que suas atividades estão praticamente suspensas. A guerra petroleira entre a Arábia Saudita e a Rússia é outro fator determinante para o rumo da economia, considerando que afeta diretamente a Colômbia, já que concentra a maior parte de suas exportações de petróleo e não tem uma economia diversificada.